segunda-feira, junho 07, 2004

03/06/2004
Microempresa recebe ajuda de universitários

Rachel Silva

Desde ontem, 22 empresas capixabas de pequeno porte estão recebendo estudantes universitários que, ao longo dos próximos seis meses, vão identificar e corrigir problemas tecnológicos, de processos e de gestão.

São os bolsistas selecionados pelo Programa de Bolsas de Iniciação Tecnológico (Bitec), uma parceria entre o Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

O Bitec tem o objetivo de transferir conhecimentos das instituições de ensino para micro e pequenas empresas organizadas em arranjos produtivos locais, colocando em contato o setor produtivo e o setor acadêmico.

"A nossa principal missão é essa, promover interação entre universidade e empresa, aproximar o setor produtivo das tecnologias", diz o coordenador do programa no Estado, Iomar Cunha.

Em 2002, última vez em que foi aberta seleção para o Bitec, foram selecionados 12 projetos capixabas. Entre os projetos aprovados para este ano, onze são na Grande Vitória e onze no interior do Estado. As empresas atendidas são de setores em que o Sebrae identificou alguma necessidades: madeira e móveis, têxtil, vestuário e couro, rochas ornamentais, construção civil e metal-mecânico.

Os autores dos projetos são estudantes dos cursos de Administração, Direito, Sistemas de Informação, Engenharia de Produção, Design e Saneamento Ambiental, todos com orientação de algum professor.

O valor de cada bolsa é R$ 300,00 mensais, e o prazo para o desenvolvimento dos projetos é de seis meses. A verba será repassada pelo CNPq ao IEL, que ficará responsável por remunerar os bolsistas.