quarta-feira, junho 30, 2004

CRM de Tabuleiro
A consultoria Tridea inicia suas atividades no mercado de implementação de CRM apostando no conceito de jogo de empresa.

Vivenciar um conceito, absorvendo suas principais características por meio de jogos, é uma iniciativa já bastante utilizada por pedagogos e especialistas em educação. Agora a prática chega ao mercado corporativo, mais especificamente ao segmento de implementação de sistemas de CRM (Customer Relationship Management) pelas ações da consultoria Tridea, uma das certificadas brasileiras para a venda do Microsoft Business Solutions CRM.

Recentemente criada por um grupo de executivos oriundos das áreas de vendas, marketing e tecnologia, a empresa aposta na realização de jogos para garantir que as práticas advindas da aquisição de um aplicativo sejam absorvidas por seus usuários. ´´Se a tecnologia e os processos por ela suportados não estiverem alinhados à organização e às estratégias de negócios, dificilmente os resultados esperados serão alcançados´´, afirma José Miraglia, um dos fundadores da Tridea.

O executivo afirma que a metodologia de implementação adotada pela empresa tem o objetivo de alinhar estes três elementos em cada um de seus clientes. É aí que entram os jogos. De acordo com Flavio Fernando Silva, diretor de marketing, eles permitem que os participantes experimentem os conceitos e práticas através de simulações de cenários de negócios. ´´O exercício da tomada de decisão, e o formato lúdico do jogo, favorecem o aprendizado e a sedimentação do conhecimento´´, ressalta.

Na prática, os jogos de empresas criados pela companhia podem abordar quatro áreas: corporativo, marketing, vendas e serviços. São formados grupos que representam diferentes empresas e/ou diferentes profissionais da mesma empresa. Nesse momento as regras gerais do jogo são apresentadas.

O jogo é executado em várias rodadas, onde os grupos serão responsáveis pela tomada de decisões, as quais definirão sua performance. Ao final de cada rodada, resultados são apresentados e discutidos à luz dos conceitos e melhores práticas. ´´Ao final do jogo, o grupo com melhor performance é declarado vitorioso, sendo realizada uma avaliação global dos resultados´´, explica o executivo, afirmando que os resultados são melhores do que os obtidos com métodos tradicionais.

Além dos jogos, a consultoria conta também com áreas voltadas à educação e análise de gaps. A primeira, por meio de palestras, workshops e cursos, amplia e fortalece a visão empresarial que irá garantir a adoção e a prática de políticas de relacionamento por parte dos profissionais das áreas de administração, marketing, serviços, vendas, atendimento e qualidade, por exemplo.

Já a segunda área mapeia oportunidades para melhoria organizacional em áreas como marketing, vendas e serviços. A análise é feita por meio de entrevistas, suportadas por documentos de levantamento pré-formatados, que serão conduzidas com pessoas chave da empresa, com o objetivo de colher informações que possibilitem avaliar processos, requerimentos, regras de negócio, integrações e tecnologia.

Fonte: Consumidor Moderno (extraído do GazetaOnline)



segunda-feira, junho 07, 2004

INFORMÁTICA ETC
Rio, 07 de junho de 2004

Internet em banda larga: o DSL está com a corda toda
Elis Monteiro

Tortura chinesa. Sim, navegar na internet usando o tartarúrgico dial-up é um sofrimento, mais ainda quando se tem a experiência de navegar em altas velocidades. Parece que os usuários de internet dial-up começam, enfim, a despertar para este novo mundo em que as páginas levam menos de cinco minutos para abrir.

A última pesquisa divulgada pelo Ibope é apenas a constatação daquilo que a indústria já vem percebendo: o mercado brasileiro de banda larga tem futuro. Segundo o estudo, 29% dos usuários de acesso dial-up pretendem se livrar da tortura e adotar a banda larga nos próximos 12 meses. Oba! E tem mais: quem já usa banda larga aqui no Brasil quer fazer jus ao (ainda alto) investimento: o usuário brasileiro de conexão rápida navega mais que o americano - em média, 21 horas e 58 minutos, em comparação com as 19 horas e 8 minutos gastas mensalmente em exploração do ciberespaço nos EUA.

Além disso, o Ibope constatou que o preço é o principal empecilho para quem ainda não adotou a banda larga. Para saber disso, vamos combinar que não precisava nem de pesquisa...


Indústria está a mil diante das boas perspectivas

As previsões são otimistas. Segundo pesquisa da Point Topic, no fim de 2003 havia aproximadamente cem milhões de assinantes de banda larga no mundo. Dentro desse segmento, a área de DSL cresceu 79% no mundo e 85% no Brasil. Para o fim de 2004, espera o Yankee Group um salto de linhas ADSL de 1 milhão para 1,7 milhão. Para alimentar este mercado em ascensão, as operadoras, ao lado das fornecedoras de infra-estrutura, trabalham na criação de novos serviços, como vídeos on-demand, jogos e segurança.

Assim, fornecedoras de infra-estrutura para redes velozes criam soluções e já lambem os beiços com a expectativa de mais demanda. Entre elas, a Alcatel. Só no Brasil, a empresa é responsável por 60% das vendas de ADSL.

- No futuro, todo telefone fixo trará banda larga acoplada, e isso também para as classes C, D e E. Além dos serviços de voz, os assinantes terão acesso aos serviços de banda larga, pagando por isso o mesmo preço do telefone convencional - prevê Janio Foigel, presidente da Alcatel Brasil. - A banda larga tem cada vez mais um papel fundamental no mercado de telefonia fixa.

Enquanto a maioria dos usuários de banda larga acessa a internet a 256kbps, a empresa suíça Schmid Telecom, que atua na área de telecomunicações, anunciou uma plataforma que permitirá às operadoras oferecer aos clientes acesso com velocidades de até 2,3 megabits por segundo e realizar até oito chamadas telefônicas simultaneamente. Batizada de Pegasus, a plataforma é usada em companhias da Ásia e da Europa. No Brasil, a Schmid tem instalados 60 mil módulos xDSL.

- O produto é para atender condomínios, prédios menores ou antigos, mas pode ser usado por empresas de qualquer porte - diz Rogério Cascaes, diretor-geral da Schmid no Brasil.

AS TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO EA EDUCAÇÃO

(Este link leva para uma versão integral do artigo em formato MS-WORD)

03/06/2004
Microempresa recebe ajuda de universitários

Rachel Silva

Desde ontem, 22 empresas capixabas de pequeno porte estão recebendo estudantes universitários que, ao longo dos próximos seis meses, vão identificar e corrigir problemas tecnológicos, de processos e de gestão.

São os bolsistas selecionados pelo Programa de Bolsas de Iniciação Tecnológico (Bitec), uma parceria entre o Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

O Bitec tem o objetivo de transferir conhecimentos das instituições de ensino para micro e pequenas empresas organizadas em arranjos produtivos locais, colocando em contato o setor produtivo e o setor acadêmico.

"A nossa principal missão é essa, promover interação entre universidade e empresa, aproximar o setor produtivo das tecnologias", diz o coordenador do programa no Estado, Iomar Cunha.

Em 2002, última vez em que foi aberta seleção para o Bitec, foram selecionados 12 projetos capixabas. Entre os projetos aprovados para este ano, onze são na Grande Vitória e onze no interior do Estado. As empresas atendidas são de setores em que o Sebrae identificou alguma necessidades: madeira e móveis, têxtil, vestuário e couro, rochas ornamentais, construção civil e metal-mecânico.

Os autores dos projetos são estudantes dos cursos de Administração, Direito, Sistemas de Informação, Engenharia de Produção, Design e Saneamento Ambiental, todos com orientação de algum professor.

O valor de cada bolsa é R$ 300,00 mensais, e o prazo para o desenvolvimento dos projetos é de seis meses. A verba será repassada pelo CNPq ao IEL, que ficará responsável por remunerar os bolsistas.

domingo, junho 06, 2004

São Paulo, domingo,
06 de junho de 2004

CAPACITAÇÃO NAS FÉRIAS

Entidades reúnem opções de cursos gratuitos
DA REDAÇÃO

Estar sem dinheiro para viajar nas férias de julho não precisa ser sinônimo de tédio. Aproveitar a época para investir em qualificação é um caminho até mesmo para os que estão desempregados, já que há empresas e instituições com cursos de capacitação e workshops gratuitos, muitos deles com turmas abertas durante todo o ano. Confira, a seguir oportunidades.

TECNOLOGIA

Cursos de Word e de Excel
Público-alvo: desempregados
Quem oferece: Instituto CSU
Quando: durante todo o ano
Horário: há diversas turmas, de segunda a sexta, das 8h às 18h
Inscrições: das 9h às 18h, à av. Eusébio Matoso, 414, Pinheiros, zona oeste
Informações: 0/xx/11/3813-1378

SÓ PARA JOVENS

Cursos de Linux e de Java
Público-alvo: ser estudante com cadastro no CIEE
Quem oferece: CIEE e Faculdade IBTA
Quando: às terças e quintas, durante todo o ano
Horário: das 13h às 17h
Inscrições: pelo site www.ciee.org.br

Restaurante Escola
Público-alvo: pessoas com idade entre 17 e 21 anos, com renda familiar de até três salários mínimos e que tenham concluído ou estejam matriculadas no ensino regular
Quem oferece: Universidade Anhembi Morumbi e Fundação Jovem Profissional
Quando: às terças, quartas e quintas
Horário: das 8h às 10h, e das 14h às 16h; aulas práticas acontecem das 10h às 15h, no atendimento do restaurante da Câmara Municipal
Inscrições: na primeira semana de outubro, na fundação (av. Nove de Julho, 398, Bela Vista, centro)
Informações: 0/xx/11/3241-5588

SÓ PARA DESEMPREGADOS

Programa Reconquista do Trabalho
Público-alvo: desempregados que tenham completado, no mínimo, a 4ª série do ensino fundamental, tenham mais de 30 anos e rendar familiar de até quatro salários mínimos
Quem oferece: Senac-SP
Quando: de 22 de junho a 6 de julho (somente às terças a sextas)
Horário: das 9h às 12h
Inscrições: até 15/6, pelo tel. 0/xx/11/6647-5151

EMPREENDEDORISMO

Aprender a empreender
Público-alvo: aberto
Quem oferece: Sebrae-SP
Quando: durante todo o ano
Horário: depende do aluno, pois são cursos a distância (pela internet, por correspondência ou por telessala)
Inscrições: 0800-780202

IPGN (Iniciando um Pequeno Grande Negócio)
Público-alvo: futuros empresários
Quem oferece: Sebrae e IEA (Instituto de Estudos Avançados)
Quando: 14 de junho
Horário: depende do aluno, pois o curso é realizado via internet
Inscrições: até 13 de junho em http://ipgn.iea.org.br

PROFISSIONALIZANTES

Rede Interativa Construção (etapas de instalação elétrica, determinação das seções dos cabos, importância do condutor terra e oportunidades no mercado de trabalho, entre outros)
Público-alvo: eletricistas e vendedores-balconistas
Quem oferece: Pirelli, em parceria com a Tigre, a Fame e a Eletromar
Quando: 6 de julho e 3 de agosto
Horário: às 8h30 (vendedores-balconistas) e às 17h30 e às 19h (eletricistas)
Inscrições: 0800-7722244

Escola de Enfermagem da Beneficência Portuguesa (curso técnico)
Público-alvo: pessoas que tenham mais de 18 anos no ato da inscrição e que tenham concluído o ensino médio
Quem oferece: Escola São Joaquim (Hospital da Beneficência Portuguesa)
Quando: em 2005, mas a data ainda não foi definida
Horário: das 7h às 13h ou das 15h às 21h
Inscrições: www.beneficencia.org.br ou 0/xx/11/3253-5022 ramal 1201

Curso de habilitação de corretores
Público-alvo: profissionais autônomos que tenham, no mínimo, ensino médio e que morem em São Paulo
Quem oferece: Icatu Hartford
Quando: de 2 de agosto a 22 de outubro e de 30 de agosto a 26 de novembro (as inscrições, porém, podem ser feitas durante todo o ano)
Horário: das 14h às 17h
Inscrições: encaminhar currículo para corretoressp@icatu-hartford.com.br

Técnicas de vendas e atendimento ao cliente
Público-alvo: pessoas que tenham completado o ensino superior e que tenham facilidade de comunicação
Quem oferece: Associação Brasileira de Telemarketing e Prefeitura de São Paulo
Quando: a próxima turma será em 28 de junho (há classes durante todo o ano)
Horário: das 8h30 às 12h30 ou das 13h30 às 17h30
Inscrições: no site www.trabalhosp.prefeitura.sp.gov.br (no link Cadastramento, depois, Bolsa Trabalho Emprego. No formulário, escolher a opção operador de telemarketing)

Aplicação e Manutenção de Rolamentos e Vibrações Mecânicas Aplicadas à Manutenção (e-learning)
Público-alvo: todos os interessados
Quem oferece: NSK Brasil (fabricação de rolamentos)
Quando: durante todo o ano
Horário: depende do aluno
Inscrições: http://portal.br.nsk.com/etreinar/

Curso de formação e habilitação de corretores
Público-alvo: ter de 25 a 50 anos, o ensino médio completo, facilidade de comunicação, disponibilidade para trabalhar na rua e morar em São Paulo
Quem oferece: Mongeral Seguros e Previdência
Quando: 5 de julho
Horário: das 8h30 às 17h30
Inscrições: enviar currículo para rsilva@mongeral.com.br
Informações: 0/xx/11/3188-4900

ARTE

Formação em design popular baiano
Público-alvo: educadores
Quem oferece: Museu da Casa Brasileira
Quando: 15 e 17 de junho
Horário: das 13h30 às 17h
Inscrições: 0/xx/11/3034-6196

WORKSHOPS

Cultural Shock
Público-alvo: profissionais que lidam com estrangeiros no dia-a-dia e que tenham nível intermediário de inglês
Quem oferece: St. Giles (unidades São Paulo e Campinas)
Quando: 7 de julho
Horário: das 20h às 21h
Inscrições: 0/xx/11/3873-2233 ou 0/xx/19/3206-0767, até 30 de junho

Bricolagem (uso correto de ferramentas como furadeira, parafusadora e serra e orientação para projetos)
Público-alvo: aberto
Quem oferece: Skil Ferramentas Elétricas
Quando: durante todo o ano
Horário: geralmente, às 14h
Inscrições: 0800-7045446

Casa Gourmet (na área de gastronomia e outros como etiqueta, auto-estima, técnicas de vendas e reciclagem de papel)
Público-alvo: aberto
Quem oferece: Arno
Quando: durante todo o ano
Horário: depende do curso (geralmente às 14h30 ou às 18h30)
Inscrições: 0/xx/11/3259-3711 ou no site www.casagourmet.com.br

Desperte seu Talento e Inicie um Negócio Lucrativo
Público-alvo: aberto; é preciso levar um quilo de alimento não-perecível
Quem oferece: Centro Cultural Casa do Restaurador
Quando: 21 de julho
Horário: das 20h às 22h
Inscrições: 0/xx/11/5090-3699

Cooperativismo
Público-alvo: interessados emqj montar uma cooperativa ou em saber como o sistema funciona
Quem oferece: Ocesp (Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo)
Quando: 16 e 18 de junho
Horário: das 13h30 às 17h30
Inscrições: pelo tel. 0/xx/11/5576-5985

Iniciação à Degustação de Vinhos
Público-alvo: aberto
Quem oferece: Importadora Grand Vin
Quando: 3 e 17 de julho -em Campos do Jordão (SP)
Horário: das 18h às 20h
Inscrições: 0/xx/11/3672-7133

Palestra informativa para leigos sobre homeopatia
Público-alvo: aberto
Quem oferece: Escola Paulista de Homeopatia
Quando: 26 de junho
Horário: das 14h às 16h
Inscrições: 0/xx/11/5571-8583



São Paulo, domingo,
06 de junho de 2004

4.805 VAGAS

Fluxo de turistas e de alunos em férias faz acampamentos, hotéis e parques abrirem suas portas

Julho é mês de "ralação" para universitários
FREE-LANCE PARA A FOLHA

Julho é mês de férias. Ou não, dependendo do ponto de vista. Há vagas de trabalho temporário durante o período, especialmente nas áreas de lazer e turismo. E, nesses setores, candidatos universitários são os mais disputados.
A Folha traz nesta edição 4.805 ofertas de emprego, com salários que vão de R$ 260 a R$ 3.500 por mês, além de 5.060 vagas de estágio. "Em julho, registramos aumento de oportunidades para vendedores, monitores e atendentes, especialmente em empresas do ramo de entretenimento", conta Eliana Baptista, 46, diretora de gestão de pessoas da agência de empregos Luandre, de São Paulo.
Em hotéis e resorts, o reforço acontece porque julho é mês de alta temporada -e de muito calor, em alguns Estados. "A demanda aumenta, principalmente a de turistas estrangeiros", diz Fátima Maciel, 45, diretora de relações humanas do Club Med.
As vagas temporárias com contrato -que garantem ao empregado direitos como férias e 13º salário proporcionais- estão caindo neste ano porque, para se livrar dos encargos, as empresas optam cada vez mais pela contratação direta (sem passar pelas agências), explica o presidente da Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário), Necésio Tavares.
Mas, mesmo sem receber os benefícios, há quem diga que vale a pena viver de "bicos". A protética Sandra Borges, 33, foi demitida de seu antigo emprego porque, segundo conta, foi considerada velha demais para a função. Além de ter quatro filhos.
Sem nunca ter atuado, foi selecionada para ser um dos monstros do evento Noites do Terror, do Playcenter. Por um mês de trabalho, ganhou R$ 1.500. "É uma saída para quem está sem emprego, acaba abrindo portas. A agência sempre me chama para fazer diferentes trabalhos."

Currículo recheado
A possibilidade de incrementar o currículo ou de transformar a vaga temporária em fixa faz engrossar a lista de candidatos.
Conforme afirma João Renato de Vasconcellos Pinheiro, vice-presidente do Sindeprestem (sindicato especializado em mão-de-obra temporária), cerca de 25% conquistam a vaga.
Muitos desses reforços acabam se tornando fixos por se identificarem com o perfil solicitado. "Contratamos 40% dos temporários da última seleção", diz Dirceu Ramos, presidente da DR Marketing Promocional.
Com currículos enxutos e pouca experiência, os universitários são os preferidos dos empresários. "Eles estão dispostos, querem melhorar o currículo e garantir o primeiro emprego", declara Marco Antônio Vívolo, 50, presidente da Associação Brasileira de Acampamentos Educativos.
Estudante do terceiro ano de administração, Dayane Souza, 22, conseguiu, há um mês, estágio no departamento de marketing do Rio Quente Resorts. "Meu contrato tem validade de um ano, mas quero crescer na empresa e virar fixa." (LARA SCHULZE)